ACESSÓRIO

O que vai estar escrito na sua lápide?


Alguns amigos diriam que o tema deste post é porque fiz 50ão recentemente. Dizem – com certa dose de razão – que a partir dos 50 anos de idade você tem mais passado que futuro. Niemeyer está aí para provar o contrário.

Mas não é não…

A frase do título do post é porque nos últimos, sei lá, dois, três anos, conheci muita gente em que me despertava essa pergunta.

Fico curioso. Algumas pessoas são tão de mal com a vida, tão amarguradas, que podem tentar disfarçar mas não conseguem.

Um aspecto comum: todas tinham muito dinheiro. Uns mais, outros menos. E alguns, muito!

Não, antes que me condenem, não estou dizendo que tem que ter dinheiro para ser amargurado. Aliás, a tendência talvez seja inversa. Mas estou dizendo que a imensa maioria dos que conheci nessa condição, tinham dinheiro.

E essa amargura contagia o ambiente. Em alguns casos o sujeito torna-se quieto, monossilábico, sem sorriso. Quase não dá prá perceber se tem dentes. Uma vez fui entrevistado para um alto cargo executivo por um sujeito assim. Quando ele entrou na sala – eu no sofá da entrevista – parecia que uma nuvem negra tinha entrado junto. Não rolou. Hoje dou graças… ia ser complicado. Mas ali lembrei da velha frase: “dinheiro não traz felicidade”.

Outros são até agradáveis no convívio, mas de repente se tornam agressivos. Qualquer motivo é motivo para um processo hostil de auto-afirmação. Essa bi-polaridade transforma o sujeito numa bomba relógio desregulada. Conheci um assim. A conversa ia bem. Sem problemas. De repente, uma simples faísca de uma contrariedade e… bum! Explodia.

E tem aqueles que gostam de desrespeitar quem estiver por perto. Típica manifestação de poder desnecessária. Claro geralmente pessoas (na visão deles) numa escala social inferior. E não demonstram qualquer arrependimento. Nada! É um tipo de sociopatia. Falei sobre isso em outro post mais antigo (https://vcriscio.com/2012/06/30/meu-vizinho-e-um-psicopata-e-ele-fala-a-mesma-coisa/)

Aliás, esses são os mais complicados: esses destratam garçons, manobristas, o instalador da tv a cabo, um simples sujeito que sem querer senta sem querer no assento marcado do sujeito no avião. Enfim, qualquer pessoa que pode parecer na visão liliputiana deles, alguém menos provido de valor.

O que será que vão escrever na lápide?

Sim, porque alguns podem até achar que vão encontrar a fórmula da vida eterna. Não vão né? Podem até conseguir prolongar. Eternizar jamais.

Ainda bem!

Ontem estava na praia e conversando com um amigo – que passa ele também por um determinado drama familiar – ríamos, mas ríamos com as bobagens que se pode falar e pensar numa praia regada a sol e cerveja. E concluímos: rir é o melhor remédio. Prá tudo.

Aliás, talvez essa fosse uma boa frase de lápide. “Rir é o melhor remédio”.

Mas conhecendo meus amigos eles diriam em frente à minha: “se rir é o melhor remédio o que você está fazendo aí?”.

Como eu sempre gosto de fazer referências a filmes nos meus posts não podia deixar de citar o filme Antes de Partir. Apesar de não falar em lápide, fala de dois sujeitos – um ricaço, mal humorado, amargurado, de mal com a vida, Nicholson, esplêndido – e um mecânico (Morgan Freeman, sempre excelente).

A sinopse é a seguinte (fonte: http://www.adorocinema.com/filmes/filme-114522/)

Carter Chambers (Morgan Freeman) é um homem casado, que há 46 anos trabalha como mecânico. Submetido a um tratamento experimental para combater o câncer, ele se sente mal no trabalho e com isso é internado em um hospital. Logo passa a ter como companheiro de quarto Edward Cole (Jack Nicholson), um rico empresário que é dono do próprio hospital. Edward deseja ter um quarto só para si mas, como sempre pregou que em seus hospitais todo quarto precisa ter dois leitos para que seja viável financeiramente, não pode ter seu desejo atendido pois isto afetaria a imagem de seus negócios. Edward também está com câncer e, após ser operado, descobre que tem poucos meses de vida. O mesmo acontece com Carter, que decide escrever a “lista da bota”, algo que seu professor de filosofia na faculdade passou como trabalho muitas décadas atrás. A lista consiste em desejos que Carter deseja realizar antes de morrer. Ao tomar conhecimento dela Edward propõe que eles a realizem, o que faz com que ambos viagem pelo mundo para aproveitar seus últimos meses de vida.

O filme é emocionante, divertido, e traz uma belíssima lição de vida. Principalmente aos amargurados.

Mas só para encerrar, se quiser sugestões do que escrever na sua lápide seguem dois links. Mas no Google tá cheio de referências a isso. Todas bem humoradas, claro.

http://revistatrip.uol.com.br/revista/180/salada/o-que-estara-escrito-em-sua-lapide.html

http://www.osvigaristas.com.br/frases/lapide/

Bom domingo. Siga em frente.

Anúncios

1 comentário em “O que vai estar escrito na sua lápide?

  1. Ótimo post Vicente.Tem gente que quando entra no ambiente ele fica nebuloso mesmo.Aquelas que preferem ser temidas à respeitadas.Acredito que isso tudo envolve baixa estima e insegurança enrustida.Por isso agem equivocadamente e supostamente como superiores. Aprendi que você deve tratar a todos como gostaria de ser tratado.Abs.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: